Projetos

Na estrutura organizacional da Viva e Deixe Viver, cada participante/voluntário representa uma parte importante do todo da Associação. Atuando diretamente nos hospitais ou internamente em tarefas administrativas externas ao hospital, a Viva espera que os voluntários de fato conheçam sua missão e acreditem que possam contribuir com sua disseminação. Sendo assim, cada função deve ser desempenhada com a máxima seriedade procurando sempre atuar da melhor maneira possível.
Como a missão da Viva refere-se à humanização hospitalar, os voluntários que estão nessa linha de frente, contadores e cabeças de chave, são os mais diretos representantes da Viva, daí a grande responsabilidade e privilégio. Para esclarecer a expectativa da Viva para a função dos cabeças de chave, nesse documento daremos especial atenção.

CONCEITO

O cabeça de chave para a Viva é considerado o coordenador dos contadores do hospital que está locado. Representa a Associação perante o hospital e contadores. Para desenvolver seu trabalho, consideramos importante destacar algumas características:

  • Acreditar no trabalho voluntário;
  • Ter boa comunicação/relacionamento com os contadores e pessoal do hospital;
  • Ser ético nas colocações e informações particulares seja de pacientes ou outros;
  • Ter boa organização e controle dos formulários;
  • Informar as orientações/regras do Viva;
  • Ser o representante da Viva dentro do hospital para contatos tanto aos contadores quanto a direção do hospital;
  • Ser o elo de contato com a sede para todos os assuntos referentes ao hospital de atuação e os voluntários do mesmo;
  • Ser o contato principal para qualquer problema do voluntário relativo ao seu trabalho.

FUNÇÕES

A função do cabeça de chave abrange inúmeras tarefas. Procuramos dividi-las em 3 grupos para facilitar a exposição:

  1. Do relacionamento
  2. Da organização
  3. Das regras/orientações

1. Do relacionamento

  • Receber, apresentar e integrar os novos voluntários ao corpo clínico do hospital;
  • Estimular o contador a comparecer nas atividades da Viva tais como vivências, palestras, oficinas, festas, etc;
  • Comparecer na formatura do novo voluntário para a entrega do avental;
  • Promover reuniões com os contadores promovendo a integração e trocas de experiências.

2. Da organização

  • Anotar nome, telefone, dia e hora dos contadores sob sua responsabilidade e divulgar as informações a todos os contadores do seu grupo;
  • Controlar o livro de relatos, frequência e informações relevantes, enviando relatório mensal à Sede;
  • Recolher o material oferecido na Sede;
  • Elaborar um mural com informações com o título “não esqueça” ou “lembrete importante”.

3. Das regras/orientações:
Faltas justificadas:

  • Para não prejudicarmos a saúde das crianças, o contador que estiver gripado, com dor de garganta ou ouvido, ou sem condições emocionais para contar histórias, por favor, avise o cabeça de chave com antecedência e não compareça ao hospital;
  • Se por outra razão o contador não puder comparecer, o cabeça de chave deve ser avisado para justificar no relatório de frequência.
  • As emendas de feriados, quando combinadas, não serão consideradas faltas;
  • Observamos que o aproveitamento das crianças nas histórias em feriados é bem menor devido ao número de visitas que recebem. Sugerimos, então, que os contadores não contem histórias em feriados;
  • Faltas, férias e afastamento do cabeça de chave deverão ser comunicados com antecedência para que outro voluntário assuma a chave.

Como você observou, o cabeça de chave é uma função muito importante para a Viva, é trabalhosa e compensadora. Esperamos que você desempenhe-a com competência, seriedade e carinho, características essenciais para a Viva, e como a Associação pauta suas ações e trilha seu caminho.

Bom trabalho!