Projetos

Do ventre à primeira infância

Com a entrada da mulher no mercado de trabalho, os ensinamentos sobre o cuidado infantil deixaram de ser passados de mãe para filha e começaram a ser terceirizados. Neste processo perdeu-se muito do aconchego, da segurança e do afeto.

No entanto, a chegada de um novo bebê é motivo de amor, alegria e carinho. Mas também pode causar insegurança e medo às pessoas que vão cuidá-lo frente à responsabilidade com este novo ser frágil e suscetível às hostilidades do ambiente.

Aproximar o futuro rebento da literatura e das brincadeiras, mesmo que ainda na barriga, é construir afetos. Oferecer uma leitura para a criança de 0 a 3 anos (Primeira Infância), é também proporcionar fantasia, magia e imagens para a construção do conhecimento.

O modelo de formação para funcionários de creches e de berçários e de babás, geralmente, é fundamentado em questões higienistas/cognitivistas e deixa de lado os aspectos psicoafetivos da criança. Porém, para desenvolver-se de maneira saudável, a criança necessita vivenciar experiências positivas e construir uma relação afetuosa com seu cuidador.