Regua-de-logos-2023-01

A Arte de Contar Histórias e do Brincar na Saúde

img_10_baixa

POR QUE TORNAR-SE VOLUNTÁRIO CONTADOR DE HISTÓRIAS DA VIVA?

A Viva é reconhecida pela excelência na formação do trabalho voluntário por meio da contação de histórias em hospitais. São todos capacitados para a sensibilidade à humanização e a prática do altruísmo.
Além disso, ajudar ao próximo traz benefícios e recompensas à saúde mental e bem-estar de quem pratica e recebe a ação voluntária.
Conheça alguns benefícios de quem se dedica a atividades voluntárias.
1) oportunidade para fazer algo que vale a pena;
2) sentir-se bem consigo mesmo;
3) criar uma sociedade melhor;
4) oportunidade para devolver os recursos que recebeu em sua trajetória;
5) melhorar atitude na própria situação de vida da pessoa;
6) oportunidade para relacionamentos;
7) adesão às metas da agência promotora;
8) experiência educacional;
9) realizar atividades desafiadoras;
10) oportunidade para trabalhar com faixas etárias diferentes.
Obs.: Pesquisas apontam que o voluntário da Viva permanece em média 10 anos se dedicando às atividades propostas, demonstrando seu amor pela ação.

Porque contar Histórias?

O ato de contar uma história, além de atividade lúdica, amplia a imaginação, possibilita debater importantes aspectos do dia-a-dia e também é uma forma de discutir temas éticos e cidadania e estimular o interesse pela leitura.
Em 2021 um estudo com participação do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e da Universidade Federal do ABC (UFABC), em parceria com a Associação Viva e Deixe Viver, evidenciou, pela primeira vez, que o ato de contar histórias é capaz de trazer benefícios fisiológicos e emocionais para crianças que se encontram em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). A descoberta foi publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences, periódico científico da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, e foi liderada pelos pesquisadores Dr. Guilherme Brockington, da UFABC, e Dr. Jorge Moll Neto, do IDOR.
A pesquisa apontou que durante a contação de histórias acontece algo que chamamos de ‘transporte da Narrativa’, ou seja, a criança, por meio da fantasia, pode experimentar sensações e pensamentos que a transportam, momentaneamente, para outro mundo, outro lugar, diferente do quarto do hospital e, portanto, longe das condições aversivas de uma internação
Dr. Guilherme Brockington, coordenador da pesquisa.

Curso de formação para se tornar voluntário contador de histórias na Saúde

Atuar como voluntário na área da Saúde requer cuidados específicos e por isso a importância da realização de um curso completo de formação e capacitação, envolvendo a participação de profissionais especialistas em temáticas fundamentais para o desenvolvimento do trabalho voluntário duradouro com consciência, compromisso e constância.

O curso tem carga horária de 40 horas.
Além das aulas teóricas, o candidato passará por formações e treinamento em hospitais.

O curso oferece certificado

Primeiro tema: “Princípios e Diretrizes da Viva”
Segundo tema: “Fundamentos Filosóficos para quem cuida com afeto no mundo Contemporâneo”

Apresentação da Associação Viva e Deixe Viver e do processo de treinamento. Educar para a solidariedade pressupõe recuperar conceitos que não se reduzem a sentimentalismos ou a uma vaga ideia de assistencialismo. Solidariedade tem a ver com a solidez de uma vida em sociedade, a qual se apoia na vida da família e na de outras comunidades. Os princípios que norteiam a Associação Viva e Deixe Viver são: leitura, brincadeira, criatividade. Através de atividades culturais o lúdico estimula o desenvolvimento de aptidões das crianças hospitalizadas ou não, contribuindo para a humanização dos serviços a elas destinados.

Tema: “Planejamento pessoal e administração do Tempo no mundo lúdico”
Compreender a importância do gerenciamento no tempo, propondo uma reflexão sobre a inserção da ação voluntária na magia do “Era uma vez”, do lúdico criativo transformando o prazer da leitura pelo brincar e como ações desta natureza transformam a comunicação em bem-estar para as nossas vidas.

Primeiro Tema:” Formação de leitores”
Segundo Tema: “O valor do registro no diário de bordo do contador de histórias”
Apresentar as principais técnicas de Contação de Histórias, com o lúdico e os benefícios da leitura, baseados no prazer, na identificação, no interesse e na liberdade interpretação.

Primeiro tema: “A etiqueta do contador de histórias e as condutas de relacionamento”
Segundo tema: “Ambientação Hospitalar e o mundo da saúde”

A arte de contar histórias motivando vidas no acolhimento, a Empatia no Acolhimento, Educação.

Abordar a realidade hospitalar, os cuidados necessários com a higiene, como a lavagem das mãos, alimentação, aparência, o respeito pela equipe multidisciplinar, acompanhantes e pelas normas do hospital, através de literatura apropriada visando a cultura e educação. Conhecer práticas e valores da Associação.

Tema: “Como encarar a perda”

A consciência da transitoriedade da vida
Processos de apego e desapego e a importância disso para o amadurecimento psíquico.

Aula participativa e avaliativa
Oportunidade de vivenciar uma situação de Contação de histórias e orientação para desenvolver esta técnica.

Tema: ”Vivência terapêutica – como atuar no ambiente hospitalar e reflexão sobre o equilíbrio emocional junto aos pacientes”

Como atuar no ambiente hospitalar e reflexão sobre o equilíbrio emocional junto aos pacientes”

Sistema de avaliação do voluntário para atuar na ambiência hospitalar através da dinâmica que propõe a reflexão sobre questões emocionais que surgem durante a atuação junto às crianças e aos adolescentes nos hospitais.

Tema: “Ambientação hospitalar e suas normas técnicas que o voluntário deve seguir”
Conhecer o ambiente hospitalar, as regras do hospital e iniciar a Contação de histórias para as crianças e adolescentes a partir do monitoramento de um voluntário mais experiente.

Consciência, compromisso e constância
Tema: “Como assumir a missão de contar histórias nos hospitais – através de experiências vividas no ambiente hospitalar e o que elas podem nos ensinar”
Discutir o ambiente hospitalar, as regras do hospital e expor o impacto da primeira experiência sobre a Contação de histórias para as crianças e adolescentes durante o período de treinamento a partir do monitoramento do Cabeça de Chave/Líder da Viva no hospital.

Investimento e formas de pagamento

R$ 380,00*

O pagamento pode ser feito por boleto, PIX ou em até 12x no cartão de crédito

Professores, alunos e idosos acima de 65 anos possuem 50% de desconto na taxa de inscrição

Enviar documento comprobatório do direito à meia-entrada para o e-mail: voluntario@vivaedeixeviver.org.br

*A taxa de inscrição deste curso é equivalente a um valor menor que 10% do seu custo total e, será integralmente revertida para a Associação Viva e Deixe Viver para manutenção dos custos operacionais e administrativos da Instituição. Caso houver desistência após pagamento, o valor não será reembolsado.

Escolha o local de atuação, acesse o cronograma do curso e inscreva-se!

PORQUE O CURSO É PAGO?

A interação por meio das histórias com crianças e jovens internados necessita de conhecimentos especiais e por isso, o curso de formação e capacitação do voluntário é ministrado por profissionais de conhecimentos especializados em filosofia, psicologia, infectologia, pedagogia, letras entre outros. Além disso, nosso trabalho é pautado em pesquisa acadêmica científica da conta dos benefícios fisiológicos e emocionais para crianças hospitalizadas, diminuindo o stress e reduzindo o tempo de internação.
A taxa de inscrição do curso de formação do voluntário é uma fonte segura de sustentabilidade da Viva, além de cobrir despesas diversas, que podem ser acompanhadas em nosso balanço social público.

Rede Viva – Onde atuamos?

Desde 1997, a Viva oferece o curso A Arte do Brincar e Contar Histórias na Saúde que visa formar e capacitar voluntários para contar histórias a crianças e adolescentes de 0 a 17 anos, em hospitais. Atualmente temos parceria com 88 hospitais e instituições de saúde em 5 estados brasileiros mais o Distrito Federal, nas seguintes localidades: São Paulo, Marília, Litoral Norte, Baixada Santista, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Porto Alegre e Brasília. Anualmente os voluntários contadores de história da Viva impactam cerca de 47 mil crianças de 0 a 6 anos.

O que os Voluntários dizem sobre como é ser contador de histórias

A Arte do Brincar e Contar Histórias na Saúde é um curso aprovado pela Lei de Incentivo a Cultura.
Empresas parceiras que apoiam esse projeto

pt_BRPortuguese